A Orquestra
Agenda de Concertos
stqqssd
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930
JUN 17  >
x
Músicos
Jésus Figueiredo
Jésus Figueiredo

Jésus Figueiredo é o Maestro Titular do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (TMRJ), onde trabalha ininterruptamente desde 1999, e atua também junto à Orquestra Sinfônica do TMRJ na preparação de óperas, dirigindo concertos e na regência de balés. É também Regente Titular dos Coros e Diretor Musical da Associação Canto Coral (RJ), instituição que teve como incentivador e patrono o maestro Heitor Villa-Lobos, sendo fundada em 1941 pela maestrina e musicóloga Cleofe Person de Mattos.  

É bacharel em Regência, em Orgão de Tubos e Mestre em Acústica Musical pela Escola de Música da UFRJ. Desde 2010 é professor do Curso de Música do Centro Universitário de Barra Mansa, e atualmente é aluno de Doutorado em música na Universidade Católica Argentina em Buenos Aires.

Como maestro de Coro, recebeu o Prêmio Sharp (1999) e o Prêmio APCA de melhor CD de Música Erudita (1998) pela gravação em CD da ópera Colombo de Carlos Gomes realizado pela UFRJ. Desde 1987 quando iniciou seus estudos de prática coral com a Professora Lydia Podolrowsky, vem atuando na regência, direção, acompanhamento e criação dos mais variados tipos de formação coral, tanto amadores como profissionais em diferentes instituições, completando em 2014, vinte e sete anos de carreira. E com o Coro do Theatro Municipal, vem trabalhando em todas as montagens operísticas dos últimos anos em conjunto com maestros e cantores de renome no Brasil e no exterior.

Em 2010, ganhou o prêmio de regência de ópera na 4ª Edição do Concurso Nacional da Ópera de San Juan, na Argentina. Já regeu diversas orquestras no Brasil e na Argentina como a Orquestra de Câmara do Amazonas, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Filarmônica do Ceará, Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, Orquestra Acadêmica do Teatro Colón de Buenos Aires, Orquestra da Universidade Nacional de Cuyos (Argentina), Orquestra da Ópera de San Juan (Argentina), Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra Sinfônica Brasileira, e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Nos últimos anos regeu as óperas Orfeo de Monteverdi, O Chalaça de Francisco Mignone, Elixir do Amor de Donizetti, Orfeo de Gluck e “Rei Arthur” de Henry Purcell, espetáculo este classificado pelo jornal “O Globo” como um dos dez melhores de 2008. Em 2012, junto a Orquestra Sinfônica Brasileira O&R, regeu o Concerto Lírico Comemorativo dos 80 anos da ABAL (Associação Brasileira dos Artistas Líricos), e em 2013, com a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal, regeu o Concerto de 80 anos do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Além das operas, vem se dedicando também aos Balés, e sobre sua regência já dançaram a Cia Brasileira de Balé, a Escola do Teatro Bolshoi do Brasil e o Balé do Theatro Municipal do Rio de Janeiro em títulos como Les Sylphides (2007) de Chopin, O Quebra-Nozes (2007, 2012-2013) de Tchaikovsky, Copéllia (2008 e 2012) de Leo Delibes e Don Quixote (2010) de Minkus. Além de ter preparado a Orquestra Sinfônica que acompanhou em 2011 e 2012 as temporadas cariocas respectivamente do Balé Kirov de São Petersburgo (Rússia), com O Lago dos Cisnes, e do Balé do Alla Scala de Milão (Itália), com Giselle.

Como organista, em 2009 solou junto à Orquestra Sinfônica Brasileira no concerto de abertura da temporada, e com a Orquestra Sinfônica do Festival Internacional de Campos do Jordão com a Sinfonia nº 3 para Órgão e Orquestra de Saint-Säens (inclusive com apresentação na Sala São Paulo), concerto esse que lhe rendeu uma bolsa de estudos em Órgão de Tubos na Universidade de Iowa (EUA).

Em 2012 foi convidado a assumir a direção do Coro Ópera Brasil que trabalhou na temporada lírica junto a Orquestra Sinfônica Brasileira Ópera e Repertório, e que neste ano participou do Concerto do Tenor Plácido Domingo na Arena HSBC no Rio de Janeiro. Jésus Figueiredo é responsável também pela Direção Musical da Série Ópera do Meio-dia no TMRJ, a qual vem recebendo destaque nas críticas e apresentará ao longo deste ano seis diferentes títulos.